Não cabe à Guarda Municipal imitar a polícia

Por Frederico Vasconcelos

Ao extrapolar sua atuação, guarda civil estimula violência.

Guarda Civil São Caetano

“Quando a Guarda Municipal age escancaradamente como polícia, está aberta a porta para a repetição de episódios de violência e abuso. Não é incomum verificar rondas ostensivas de integrantes da Guarda Municipal imitando a polícia. Neste imenso país, corre-se o risco de se ter “guardas pretorianas” de prefeitos populistas e de chefetes da velha política do coronelato e clientelismo.

É notório que diversas das corporações municipais são chefiadas por policiais aposentados. Aproveitar tal experiência é muito bom, desde que os seus comandantes entendam que não estão ali para reproduzir atividade policial, e sim conduzir um serviço público que pode ser bem executado mas dentro de outra linha de atuação, colaborando de maneira produtiva com o sistema de segurança pública.”

[De Luiz Antônio Guimarães Marrey, procurador de Justiça do Ministério Público do Estado de São Paulo e ex-presidente do Movimento Ministério Público Democrático, em artigo publicado no site “Consultor Jurídico“].