Hipocrisia eleitoral: de PC Farias a João Santana

Por Frederico Vasconcelos

PC Farias e João Santana

“Acho que se precisa rasgar o véu de hipocrisia que cobre as relações político-eleitorais no Brasil”, afirmou o publicitário João Santana, que admitiu em depoimento ter recebido US$ 4,5 milhões em caixa dois na campanha presidencial de 2010, segundo revela Bernardo Mello Franco, nesta sexta-feira (22), na Folha.

Em dezembro de 1994, o empresário Paulo César Farias, o PC Farias, disse à Folha que o episódio de divulgação dos doadores das campanhas eleitorais revelou a “hipocrisia” como foi tratado o seu caso na CPI do Collorgate.

“Somos todos hipócritas”, afirmou aos parlamentares, durante a CPI.

O ex-tesoureiro da campanha presidencial de Collor, morto em 1996, disse na ocasião ao repórter Xico Sá ter ficado “espantado” com o fato de que “a campanha de José Dirceu (PT-SP), candidato ao governo paulista, atingiu um índice de 72% de doações de empreiteiros”.