Andrighi recomenda contratar pessoas com deficiência

Por Frederico Vasconcelos

Em seu último ato como corregedora nacional de Justiça, a ministra Nancy Andrighi editou a Recomendação Nº 26, de 23 de agosto de 2016, que recomenda aos tribunais de todo país, como projeto de política de inclusão, a contratação de pessoas com deficiência para a tarefa de digitalização dos processos judiciais e administrativos.

A ministra sugere o uso de recursos dos Fundos Especiais de Reaparelhamento e Modernização do Poder Judiciário dos Estados para o pagamento desses colaboradores.

Nancy Andrighi é presidente da Comissão de Inclusão do Superior Tribunal de Justiça, que conta com diversos projetos de aproveitamento profissional de pessoas com deficiência.

Ela informa que a digitalização dos processos na Corte foi realizada com sucesso por deficientes auditivos. E que portadores de Síndrome de Down fazem, com perfeição, o minucioso trabalho de recuperação de documentos raros.

Para a ministra, o poder público tem o dever de acolher e dar oportunidade profissional para essas pessoas, que enfrentam dificuldade de inserção do mercado de trabalho.

“Eu vi de perto o trabalho impecável que essas pessoas são capazes de fazer. Com treinamento adequado, o rendimento profissional dos portadores de deficiência costuma surpreender”, afirma Andrighi.