Impeachment e duplo equívoco do STF

Por Frederico Vasconcelos

Do cientista político Leonardo Avritzer, da Universidade Federal de Minas Gerais, ao avaliar o papel do Supremo Tribunal Federal no impeachment, em entrevista a Cristian Klein, do “Valor“, nesta segunda-feira:

O Supremo influenciou esse processo de duas maneiras: ao não remover Eduardo Cunha, apesar de haver um pedido da Procuradoria-Geral da República em relação a isso desde o ano passado; e ao remover Eduardo Cunha de forma muito extemporânea logo depois. Todas as duas coisas, conjuntamente, permitem uma interpretação de politização do Supremo, que não é boa, nem para o Judiciário, nem para a democracia no país”.