Cármen Lúcia pede desculpas a pais de autistas

Por Frederico Vasconcelos

A presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia, redigiu nota em que pede desculpas pela referência que fez à condição autista ao comentar o julgamento da Operação Lava Jato no STF.

Em entrevista à jornalista Renata Lo Prete, da GloboNews, a ministra afirmou que haveria o mesmo empenho demonstrado no julgamento do mensalão e que os ministros não eram autistas.

Cármen Lúcia disse não imaginar que o uso da condição autista fosse interpretado como ofensivo, vivendo o cuidado com pessoa da família que tem essa condição.

O comentário gerou críticas nas redes sociais e pais de autistas procuraram a Central do Cidadão do STF.

Eis a íntegra do pedido de desculpas:

 

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Em entrevista concedida há alguns dias, fiz uso –sem qualquer motivação de ofensa ou desqualificação– a condição autista. Recebi manifestações –justas e motivadas– de que o uso era indevido e poderia ser interpretado como ofensivo.

Vivo o cuidado com uma linda e querida pessoa em família que tem essa qualidade, pelo que jamais poderia me passar ser assim interpretada.

Diante da repercussão, sei agora que não poderia ter feito uso da palavra, pois poderia ensejar má interpretação.

Peço desculpas por isso e esclareço, ainda uma vez, que jamais tive qualquer intenção de ofender ou de manifestar discriminação, no meu caso impossível, como disse, pela experiência familiar.

CÁRMEN LÚCIA ANTUNES ROCHA.