Juízes e promotores fazem manifestação em Brasília

Por Frederico Vasconcelos

Juízes e membros do Ministério Público promovem nesta quarta-feira (5) encontro na Câmara dos Deputados para celebrar o aniversário da promulgação da Constituição Federal e debater a valorização das carreiras.

Segundo os organizadores, o objetivo da mobilização é “garantir o fortalecimento e a independência do Poder Judiciário e do Ministério Público”. Eles pretendem discutir as “ações de retaliação que afetam as prerrogativas de instituições fundamentais ao País, atingindo a autonomia funcional e criminalizando suas atividades”.

A manifestação reunirá lideranças da Frente Associativa da Magistratura e do Ministério Público (Frentas), coordenada pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB). (*)

“Esta mobilização é o sinal de que estamos atentos a toda e qualquer pauta que possa oferecer risco ao nosso trabalho. Vamos seguir combatendo projetos que tramitam no Congresso Nacional e que cerceiam a liberdade de atuação dessas categorias”, afirma o coordenador da Frentas e presidente da AMB, João Ricardo Costa.

A Frentas sustenta que iniciativas legislativas pretendem reduzir estrutura, orçamento e atribuições do sistema de Justiça brasileiro, além de constranger as autoridades que atuam no enfrentamento à corrupção.

“As forças políticas ainda não encontraram uma pauta positiva para o Brasil. E projetos que utilizam o pretexto de resolver a crise são nocivos a instituições públicas. Por isso, a luta coletiva em prol das causas republicanas e da democracia é extremamente necessária, ainda mais no dia em que comemoramos o aniversário da Constituição”, afirma Costa.

“Preocupa-nos propostas que retiram direitos fundamentais dos brasileiros, como as reformas trabalhista e previdenciária, anunciadas pelo Governo Federal”, afirma Ângelo Fabiano Farias da Costa, presidente da Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho (ANPT).

O presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe), Roberto Veloso, diz que o encontro servirá, também, para denunciar a PEC 62 de 2015, que desvincula os subsídios dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) da magistratura.

“Em relação à magistratura federal, essa PEC vai deixar os juízes tendo que, anualmente, negociar com o Congresso as recomposições inflacionárias. Isso pode gerar um processo de retaliação em razão do enfrentamento contra a corrupção em operações como Acrônimo, Lava Jato e Zelotes, entre outras”, afirma.

“Também vamos abordar a PEC 241, que trata dos limites dos gastos públicos e que vai inviabilizar o funcionamento das justiças Federal e do Trabalho”, diz Veloso.

“A mobilização representa a continuidade da luta das magistraturas nacionais, que estão sofrendo pressões com a injustificável recusa em aprovar os reajustes e com propostas legislativas que podem causar graves prejuízos à nossa atividade independente, caso do Projeto de Lei do Senado que altera a lei de abuso de autoridade”, afirma José Robalinho Cavalcanti, presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR).

Segundo Norma Cavalcanti, presidente da Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp), as carreiras de Estado são um investimento da sociedade em defesa da cidadania e da implantação dos direitos fundamentais. “Passados 28 anos da Carta Magna de 88, inúmeras são as tentativas de enfraquecer o MP e a magistratura. Em nome do ideal democrático e da Justiça social, nós resistiremos”, diz.

“Somente uma classe fortalecida e unida poderá continuar na luta em defesa dos interesses e garantias previstas na Constituição, símbolo de todas as conquistas da sociedade”, diz o presidente da Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), Germano Siqueira.

Deverão participar do evento dirigentes e representantes da Defensoria Pública, delegados federais e auditores.
——————————-

SERVIÇO

Dia: 5 de outubro, quarta-feira
Local: Auditório Nereu Ramos, Câmara dos Deputados, Brasília (DF)
Horário: 14h

—————————————–

(*) A Frentas é constituída pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe), Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp), Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho (ANPT), Associação do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (AMPDFT) e Associação dos Magistrados do Distrito Federal e Territórios (Amagis/DF).