Juízes trabalhistas programam paralisação

Por Frederico Vasconcelos

Juízes e desembargadores do Trabalho pretendem paralisar os trabalhos em São Paulo, nesta quarta-feira (5), como parte de manifestações em defesa da magistratura.

Até o início da tarde desta terça-feira, 12 comarcas que fazem parte da circunscrição do TRT-2, o maior do País, confirmaram adesão à paralisação: Capital (sendo 11 Varas no Fórum da Barra Funda), São Bernardo do Campo, Ribeirão Pires, Mauá, Santo André, Guarulhos, Poá, Itaquaquecetuba, Suzano, Mogi das Cruzes, Barueri, Praia Grande e Santos.

Na ata de remarcação das audiências previstas para acontecer na data da paralisação, a sugestão da Amatra-2 (Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho de São Paulo) é que seja incluído um trecho da nota divulgada pela Frentas (*) explicando os motivos do protesto:

“O nosso objetivo é denunciar à sociedade civil os esforços sistemáticos de comprometimento da independência da Magistratura e do Ministério Público nacionais, com a erosão das garantias da cidadania e a progressiva desvalorização das respectivas carreiras, fragilizando inclusive ações institucionais de combate à corrupção.” 

————————

(*) A Frentas é constituída pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe), Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp), Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho (ANPT), Associação do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (AMPDFT) e Associação dos Magistrados do Distrito Federal e Territórios (Amagis/DF).