Outro papel relevante para a Polícia Federal

Por Frederico Vasconcelos

“O país não pode se dar ao luxo de misturar quem ainda não representa perigo fora das prisões com integrantes de organizações criminosas, senhores da ‘paz’ e da guerra no interior dos presídios. A diminuição de presos reduz os custos, facilita o controle e a vigilância.”

O comentário é do advogado criminalista Luís Francisco Carvalho Filho, em artigo sob o título “Regime de facções“, publicado neste sábado (22) na Folha, que trata das explosões periódicas nas cadeias.

“A Polícia Federal deve se limitar ao combate da corrupção, muito importante, ou deveria cuidar também da repressão a uma modalidade de crime organizado que atinge diretamente a população e faz do homicídio uma cena corriqueira? O seu aparato bélico é mesmo necessário para conduzir políticos presos ou poderia se voltar para outras funções estratégicas? E o seu reconhecido know-how em matéria de inteligência não poderia também olhar para o tráfico de armas?” –pergunta o articulista.