Cármen Lúcia a Gilmar: “Acho que não, ministro”.

Por Frederico Vasconcelos

Mendes critica ato de juízes e presidente defende a manifestação.

Cármen Lúcia a Gilmar Mendes

Durante a sessão plenária do Supremo Tribunal Federal nesta quinta-feira (1), o ministro Gilmar Mendes criticou a manifestação de juízes e promotores, em frente ao STF, contra a emenda prevendo que a magistratura e membros do Ministério Público respondam por abuso de autoridade.

A ministra Cármen Lúcia interveio em defesa dos juízes.

***
Gilmar Mendes: “Hoje eu vi, presidente, a presença desses juízes aqui, fazendo algum tipo de manifestação. Achei muito engraçado (…) Imagina se algum de nós, ou que o povo fosse para as Varas no Brasil todo fazer esse tipo de manifestação. Como que eles reagiriam? Ainda bem que eles estão lidando com um colegiado de pessoas extremamente experientes. E se fosse por um motivo nobre, se eles estivessem aqui sempre que houvesse um debate importante sobre casos de corrupção. Mas, no caso, é em função de um desassossego, de um incômodo, porque se discute, sei lá, a lei de abuso de autoridade ou a questão de salários.”

Cármen Lúcia: “Acho que não, ministro. Apenas para fazer justiça aos juízes, estou dizendo porque os recebi e porque sou presidente do CNJ também, eles vieram com muita organização, muito ordeiros, trazer preocupações que eu acho que são legítimas. Enfim, apenas para esclarecer porque poderia parecer que vieram, e realmente não vieram, nada se tratou nem de remuneração, nem muito menos em situação de desordem.”

Gilmar Mendes: “Então esperemos que eles venham em todos os outros eventos em que tenhamos aqui sessões sobre o tema de corrupção ou outros. De qualquer forma, salários acima do teto não se sustentam em nenhum sistema.”

Cármen Lúcia: “E estamos todos de acordo com isso.”