Quando a punição se converte em vingança

Por Frederico Vasconcelos

Trecho de artigo de Angela Alonso, professora do departamento de sociologia da USP e presidente do Cebrap (Centro Brasileiro de Análise e Planejamento), publicado na Folha neste domingo (12) sob o título “A política sem guerra”:

(…)

Pouca dúvida resta, se resta alguma, sobre o protagonismo do ex-governador Sérgio Cabral e do empresário Eike Batista em episódios de corrupção. Os delitos demandam pena. Contudo, nenhuma lei autoriza humilhar presos pela exposição de seus corpos, como na escravidão, e raspar-lhes a cabeça, como faziam os fascistas. Aí a punição se converte em vingança.