Fachin requisita juiz que auxiliou Teori na Lava Jato

Por Frederico Vasconcelos

A ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal, atendeu solicitação do ministro Edson Fachin e —ad referendum do plenário em sessão administrativa– designou o juiz de Direito Paulo Marcos de Farias para atuar como magistrado instrutor no gabinete do atual relator das ações da Operação Lava Jato no STF.

Magistrado do Tribunal de Justiça de Santa Catarina, Farias foi convidado no início de 2016 pelo ministro Teori Zavascki para trabalhar como juiz instrutor no gabinete do então relator dos processos da Lava Jato. Teori morreu em acidente aéreo em janeiro deste ano.

Como auxiliar de Teori, Farias desempenhou suas atividades com o também juiz catarinense Márcio Schiefler Fontes nas ações da maior investigação sobre corrupção.

No final de 2016, os juízes auxiliares de Teori concluíram a fase de depoimentos complementares das 77 pessoas ligadas à Odebrecht, cujas delações foram homologadas pela presidente do Supremo. Cármen Lúcia aceitou o pedido de desligamento de Fontes, que retornou para Santa Catarina.

No início deste mês, como este Blog registrou, a presidente do STF havia prorrogado por seis meses a designação de Farias no gabinete de Teori, que agora será ocupado por Alexandre de Moraes, novo ministro do STF.