“Não é fácil ser magistrado com tanta corrupção”

Por Frederico Vasconcelos


Em encontro com juízes federais substitutos aprovados no último concurso do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, a ministra Laurita Vaz, presidente do Superior Tribunal de Justiça, disse que “não é fácil ser magistrado num país com tanta violência, tanta corrupção – o maior mal do Brasil nos últimos tempos”.

Os juízes participam do curso de formação realizado pela Esmaf (Escola de Magistratura Federal da 1ª Região) e foram recebidos pela ministra na sede do STJ nesta terça-feira (7).

“Não podemos deixar nossa sociedade à mercê dessa criminalidade. Busquem dialogar e estabelecer parcerias com o Ministério Público Federal e estadual e as Polícias Federal e estadual em prol de ações conjuntas e eficazes”, aconselhou a ministra.

Laurita Vaz também falou da crise no sistema penitenciário brasileiro. “A impressão é que estamos num barril de pólvora prestes a explodir em qualquer estado”, disse a presidente.

A ministra informou que o STJ vai atuar em parceria com o Conselho Nacional de Justiça na busca de soluções para melhorar o quadro carcerário. Ela disse que os juízes também podem contribuir, por exemplo, examinando de forma célere e criteriosa as decisões que tratam de regime prisional, concessão de benefícios e dosimetria das penas.