Livro reúne crônica forense e análise psicológica

Por Frederico Vasconcelos

O ministro Og Fernandes, do Superior Tribunal de Justiça, e a psicóloga Marilda Lipp estão lançando em co-autoria o livro “Vidas no fórum“, uma parceria entre a crônica forense e a psicologia.

“O livro volta-se para um público curioso pela compreensão da humanidade, e não apenas para juízes, bacharéis ou psicólogos”, diz Og Fernandes.

A obra tem algo da visão do juiz-narrador e muito de um cronista da vida, segundo o autor.

O ministro é bacharel em Direito pela Universidade Federal de Pernambuco e em Jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco. Antes de ingressar na magistratura foi jornalista do “Diário de Pernambuco” (1973/1981) e assessor jurídico do Sistema Penitenciário de Pernambuco.

Coordenou e escreveu o livro “Medidas Cautelares no Processo Penal: Prisões e suas Alternativas” (RT, 2011). É coautor do “Estudo sobre Responsabilidade Penal“, publicado pela Universidade de Gênova, Itália (1985).

Segundo Og Fernandes, sua parceira “descobre os personagens como tradutora das mentes”.

Marilda Lipp formou-se em psicologia pela American University. É PhD. em Psicologia Clinica pela George Washington University. Possui pós-doutorado em stress social realizado no National Institute of Health, dos EUA.

É autora/co-autora de 25 livros sobre stress, pioneiros no Brasil. Conduz treinamentos e profere palestras em Tribunais de Justiça e Secretarias de Segurança Pública.

“Faço narrativas sobre personagens com os quais convivi –ou sobre os quais recebi testemunhos, ou li– numa perspectiva de que a história dessas pessoas resulte em tema de análise da dra. Marilda Lipp, uma especialista em estresse com enfoque no Judiciário”, diz Og Fernandes.

“Há dramas, risos, superação, casos de remorsos, angústias existenciais das pessoas descritas, tudo vertido para uma leitura descomplicada”, afirma.

Todos os personagens chegaram ao autor durante a sua longa carreira no fórum, primeiro como advogado e jornalista, e desde 1981, como magistrado. Os fatos são verdadeiros, mas alguns nomes, lugares e circunstâncias são modificados por respeito à memória dessas pessoas.

O autor narra casos como o de T., que na década de 1970, cumprindo “grossa cadeia” por integrar o grupo de assaltantes no Nordeste, de Lúcio Flávio Villar Lírio, tema de filme (o “Passageiro da Agonia”) e livro, tornou-se o primeiro preso a fazer vestibular de Direito da UFPE, formando-se como bacharel em Ciência Jurídica.

“A narrativa conta as vicissitudes daquele homem, desde as estrepolias em movimentos de revolta na prisão, até a formatura. É uma história de superação e desencanto”, diz o ministro.

O texto de Og Fernandes é prefaciado pelo ministro Carlos Ayres Britto, ex-presidente do Supremo Tribunal Federal; o de Marilda Lipp, pelo professor Cristiano Nabuco de Abreu, psicólogo com Pós-Doutorado pelo Departamento de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.

O livro, por enquanto, pode ser adquirido por via eletrônica à Editora JusPodivmm. Estará disponível nas livrarias no final do mês.

.