Nova polêmica na pendenga Janot-Gilmar

Por Frederico Vasconcelos

Na nota à imprensa em que criticou a “cavilosa arguição de impedimento” do ministro Gilmar Mendes –feita pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot– o advogado Sergio Bermudes chama o PGR de “sicofanta” (mentiroso), “leviano”, “inescrupuloso” e “irresponsável”.

Na mesma manifestação, o advogado informa o seguinte:

(…)

“Sem nunca ter tido procuração de Eike [Batista], no processo penal, compareci, com ele, sem praticar qualquer ato, a uma audiência na 3ª Vara Federal Criminal do Rio com o consentimento dos criminalistas Ary Bergher e Raphael Mattos, a cujo convite assinei petição elaborada por esses advogados, apenas para prestigiar o cliente, sem qualquer outra atuação no processo”.

(…)

A nota foi publicada no site “Consultor Jurídico“, que acolheu o seguinte comentário do procurador da República Helio Telho, de Goiás:

***

Na nota, Bermudez [sic] confessa uma infração disciplinar, que foi a de assinar uma petição que não redigiu ou para a qual colaborou, mas o teria feito apenas para “prestigiar” o colega.

Estatuto da Advocacia:

“Das Infrações e Sanções Disciplinares

Art. 34. Constitui infração disciplinar:

(…)

V – assinar qualquer escrito destinado a processo judicial ou para fim extrajudicial que não tenha feito, ou em que não tenha colaborado;”