ANPR afasta procurador da República preso

Por Frederico Vasconcelos

A ANPR (Associação Nacional dos Procuradores da República) afastou dos quadros da diretoria, nesta quinta-feira (18), o procurador da República Ângelo Goulart Villela, preso por suposto envolvimento com a Operação Greenfield, que apura fraudes em fundos públicos de pensão.

Procurador da República em Guarulhos, Villela era diretor de Assuntos Legislativos da ANPR.

Segundo a entidade, o mandado de prisão foi cumprido por membros do Ministério Público Federal, com apoio da Polícia Federal.

Em nota pública, a associação afirma que a prisão de Villela “demonstra que qualquer investigação do MPF é impessoal e respeitadora do estado de direito”.

*
Eis a íntegra da nota:

*

Nota Pública

Brasília (18/05/2017) – A Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) vem a público confirmar a prisão do procurador da República e membro da Diretoria da ANPR, Ângelo Goulart Villela, executada na manhã desta quinta-feira, 18. O pedido foi solicitado pelo próprio Ministério Público Federal, por meio do Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, ao Supremo Tribunal Federal (STF).

O caso demonstra que qualquer investigação do MPF é impessoal e respeitadora do estado de direito. As apurações têm de prosseguir sempre, independentemente dos envolvidos.

A ANPR está acompanhando os fatos, na medida do possível, considerando que o processo está sob sigilo. Como em qualquer investigação, não cabem julgamentos precipitados, e sim as medidas legais e o curso de investigações.

O cumprimento do mandado de prisão foi executado por membros do MPF com o apoio da Polícia Federal. O procurador da República Ângelo Goulart Villela já foi exonerado da função eleitoral pelo Procurador-Geral da República e também afastado da Diretoria da ANPR.

A ANPR continuará acompanhando o caso.

José Robalinho Cavalcanti
Procurador Regional da República
Presidente da ANPR