O destino da tropa de Rodrigo Janot

Por Frederico Vasconcelos


 A Procuradoria-Geral da República já definiu onde deverão atuar, a partir de 17 de setembro, vários membros da equipe de Rodrigo Janot. Naquela data, Raquel Dodge assume o comando do Ministério Público Federal (MPF).

Janot deve gozar férias e licenças. Depois, volta a trabalhar no Superior Tribunal de Justiça (STJ). Segundo seus colegas, ele não descarta a hipótese de disputar uma cadeira no Conselho Superior do Ministério Público Federal (CSMPF). Órgão máximo de deliberação do MPF, o conselho será presidido por Dodge.

Eis algumas mudanças previstas na equipe de Janot:

Eduardo Pelella –  Chefe de gabinete e braço direito de Janot, participou de concurso de remoção e será transferido da Procuradoria Regional da República da 1ª Região (PRR1), com sede em Brasília, para a PRR3, com sede em São Paulo. Com experiência na área criminal, Pelella foi chefe do MPF em Sergipe.

Blal Yassine Dalloul – Secretário-geral do MPF, participou do mesmo concurso e será removido de Brasília (PRR1) para o Rio de Janeiro. Atuará na PRR2, que tem jurisdição sobre os estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo. Dalloul chefiou a procuradoria da República em Mato Grosso do Sul.

Vladimir Aras – Chefe da Secretaria de Cooperação Jurídica Internacional (SCI), vai para a PRR1, em Brasília. Ele atuou como procurador da República na Bahia e participou da força-tarefa do caso Banestado. A PRR1 acompanha os processos oriundos do Distrito Federal e 13 estados.

Douglas Fischer –  Trabalha com Vladimir Aras na SCI. Voltará para a PRR-4, em Porto Alegre. A procuradoria tem jurisdição sobre os estados do Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina. Na PGR, Fischer coordenou a assessoria na área criminal.

Danilo Pinheiro Dias – Coordenador da Assessoria Jurídica Criminal da PGR, vai para a PRR1, no Distrito Federal. Procurador na Bahia, Dias é especialista em gestão pública.

Wellington Saraiva – Coordenador da Assessoria Jurídica Constitucional, retornará ao Recife, onde retomará sua vaga como procurador regional. A PRR5 tem jurisdição sobre o estados de Alagoas, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Sergipe.

Daniel Salgado – Chefe da Secretaria de Pesquisa e Análise (SPEA), é oriundo da Procuradoria da República de Goiás. Vai para a Procuradoria da República de São Paulo. A SPEA é considerada a área de inteligência da Procuradoria-Geral da República. Salgado esteve à frente das operações que desmontaram a quadrilha de Carlinhos Cachoeira.

Janice Ascari – A procuradora regional trabalha na assessoria criminal da PGR e não ficará em Brasília. Reassumirá integralmente suas atividades na PRR3, em São Paulo. Entre outras apurações, participou das investigações do Fórum Trabalhista de São Paulo e da Operação Anaconda.

Ronaldo Pinheiro de Queiroz – Membro do Grupo de Trabalho da Lava Jato na PGR, também participou do concurso de remoção. O procurador regional será transferido da PRR5, no Recife, para a PRR1, no Distrito Federal.