Mídia training, ética e estética nos tribunais

Por Frederico Vasconcelos


A título de criticar ministros do Supremo Tribunal Federal que anexaram assessores de imprensa aos seus gabinetes, Elio Gaspari afirma neste domingo (5), na Folha, que “a ideia de haver juízes da Suprema Corte americana com assessores de imprensa pessoais é tão absurda quanto a de que se instalasse uma sex shop no saguão do tribunal”.

Não chegamos a tanto, mas o Superior Tribunal de Justiça já teve em sua sede uma clínica de estética para os servidores, oferecendo serviços como massagens e drenagem linfática.

Gaspari cita o caso do ministro do STF Edson Fachin, cuja assessora é mulher do procurador da República Eduardo Pelella, ex-chefe de gabinete do ex-procurador-geral Rodrigo Janot.

Fachin e Janot, por sua vez, contrataram assessorias de imprensa privadas para disputar os respectivos cargos e enfrentar a sabatina no Senado.

Já tivemos presidentes de tribunais com porta-voz e “ghost writer”.