STJ arquivou inquérito envolvendo o presidente do TJ-MG

O ministro Herman Benjamin, do Superior Tribunal de Justiça, determinou em abril último o arquivamento parcial do inquérito policial envolvendo, entre outros, o presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, desembargador Nelson Missias de Morais.

O magistrado foi citado, na última sexta-feira (27), em post sob o título Magistrados sob suspeita trocam homenagens em Minas Gerais”.

O post trata de homenagem que será prestada nesta terça-feira (30) a Missias, em final de mandato, pelo desembargador Alexandre Victor de Carvalho, recém-eleito presidente do Tribunal Regional Eleitoral. Carvalho é alvo de ação penal no STJ, acusado de corrupção passiva.

Segundo o post, “o magistrado que termina o mandato e o magistrado que inicia a gestão têm em comum o fato de serem alvo de apurações que se entrelaçam”.

O Blog recebeu a seguinte contestação de Manoel Marcos Guimarães, assessor de Comunicação Institucional do TJ-MG:

Caro Frederico,

Ao contrário do afirmado em sua coluna de sexta-feira, 27 de junho, o desembargador Nelson Missias de Morais não é objeto de inquérito no STJ, já que as eventuais “suspeitas” contra ele foram arquivadas pelo ministro Herman Benjamin, em abril último, a pedido do Ministério Público Federal.

Quanto ao “considerado um magistrado vaidoso” é expressão que não combina com a seriedade que você costuma imprimir às suas colunas.

O Blog agradece o esclarecimento.