Barbosa: “Peluso manipulou julgamentos”

Em entrevista a Carolina Brígido, publicada no jornal “O Globo” desta sexta-feira (20/4), o ministro Joaquim Barbosa, vice-presidente do Supremo Tribunal Federal, fez duras críticas e acusações ao ex-presidente do STF, ministro Cezar Peluso.

Dias antes de deixar o cargo, Peluso concedeu entrevista ao site “Consultor Jurídico“, quando afirmou que o relator da ação penal do mensalão é inseguro e dono de “temperamento difícil”.

Segundo Barbosa, na votação da Lei da Ficha Limpa, que garantiu a volta de Jader Barbalho ao Senado, Peluso “cometeu a barbaridade e a deslealdade de, numa curta viagem que fiz aos Estados Unidos para consulta médica, ‘invadir’ a minha seara (eu era relator do caso), surrupiar- me o processo para poder ceder facilmente a pressões…”

A seguir, dois trechos da entrevista:

“As pessoas guardarão na lembrança a imagem de um presidente do STF conservador, imperial, tirânico, que não hesitava em violar as normas quando se tratava de impor à força a sua vontade. Dou exemplos: Peluso inúmeras vezes manipulou ou tentou manipular resultados de julgamentos, criando falsas questões processuais simplesmente para tumultuar e não proclamar o resultado que era contrário ao seu pensamento”.

(…)

No penúltimo dia da sua desastrosa presidência, o senhor Peluso, numa demonstração de “désinvolture” brega, caipira, volta a expor a jornalistas detalhes constrangedores do meu problema de saúde, ainda por cima envolvendo o nome de médico de largo reconhecimento no campo da neurocirurgia que, infelizmente, não faz parte da equipe de médicos que me assistem. Meu Deus! Isto lá é postura de um presidente do Supremo Tribunal Federal?

 

Comentários

  1. Caro Fred, vc por suas razões bloqueou comentário anterior. A autoridade é sua e eu reformulo. Diante de ser acusado da prática de fraude, ou se apresenta uma reação dentro do que o DIREITO permite, assim entendido ações cíveis ou criminais, ou aceita-se como verdadeira a afirmação. Agora acho que me fiz entender. A própósito, na USP onde me formei (passei no vestibular, ninguém me ajudou) crime é crime para branco, preto (IBGE) e ministro do STF e para qualquer estagiário de faculdades de direito, até aquelas do interior sem prestígio (pós-graduação com ajuda de sobrenome não ajuda não) …. manipular julgamento é crime (a propósito é unanime a inexistencia de manipulação) e fazer afirmação falsa também é crime. Bom domingo. Como sempre disse nesse blog: O fim é mesmo desalentador, então que chegue logo. É a curiosidade que me mantém vivo e a presidencia de Barbosa no minimo me garantirá manhãs animadas. Ass. CAIPIRA que nunca ouviu INK… e nem ouvirá. Esse é o tipo de cometário que se fosse feito por branco e ainda mais paulista seria taxado como racista… mas ele pode…

    1. O ministro Barbosa só comentou a respeito do INK… para exemplificar que não tinha muito assunto com o ministro Peluso. Só isso. Não entendi nisso nenhum comentário depreciativo sobre os gostos do ministro Peluso.

  2. Segundo a revista Consultor Jurídico: “As dores nas costas de Joaquim Barbosa preocupam a Corte. A explicação do ministro não convence a todos. Já se cogita o pedido de perícia médica para conferir se o motivo é verdadeiro ou se a verdadeira razão é o peso do cargo que inviabiliza sua presença no Supremo”

  3. Relembro que conteúdo decisório e postura justa não tem nada a ver com erudição ou arrebatamentos humanos… Um homem sereno pode desempenhar mal o seu mister, tanto quanto um homem irascível pode bem desempenhá-lo, e vice-versa… O que faz um grande Jurista é o mesmo que faz um grande Estadista: coerência e honestidade. O grande ícone do Direito Brasileiro, Clóvis Bevilacqua (como já pude destacar por aqui), deportou Olga Benário grávida para o governo nazista — será que o genial jurista não imaginava o que iria acontecer? E se alguém tivesse comentado à imprensa sobre tal decisão, seria considerado um jurista menor?

  4. Quando você convive com uma pessoa, você sabem muito bem o que a irrita, o que dizer para ela e como dizer. Até as pedras sabem que o Ministro Barbosa tem o pavio curto e não leva desaforo para casa. Por que então o Ministro Peluzo o provocou? É mais do que claro que ele fez de tudo para causar essa situação, insultando o Ministro Barbosa. Muitos comentaristas elogiam o Ministro Peluzo como o intelectual que faz lindos votos, mas na hora de pensar para falar sobre colegas, ele age como uma criança de 8 anos…ou então fez de propósito, esperando esse confronto. Bateu, levou.

    1. O Peluso provocou sim, mas a reação do Barbosa foi absolutamente desproporcional e exagerada. Os adjetivos que ele pronunciou são incompatíveis com o linguajar de um Ministro do STF. Novamente, faltou equilíbrio ao senhor Joaquim Barbosa.

      1. Para que dizer que um colega é inseguro em um entrevista que repercutiu nacionalmente? Se um colega seu dissesse isso para todo mundo ouvir, o que acharia? Com certeza o agradeceria pelo alerta e prometeria para ele que no dia seguinte mudaria de vida. Isso é um absurdo, você não consegue mudar nem com quem está casado há 20, 30 anos, o que dizer de colegas. Se ele é inseguro ou não, ninguém tem nada com isso, é um problema pessoal dele. O ministro Peluso quis humilhar e provocar deliberadamente o colega. O ministro Barbosa é estourado mesmo e não tem papas na língua, ele já deu exemplos disso. Para que provocar uma pessoa assim, ainda mais em nível nacional? Peluso teve uma resposta a altura. Se um colega meu me humilhasse nacionalmente, eu sairia no braço.

  5. Deplorável, para dizer o menos. Como exigir da sociedade brasileira respeito à Alta Corte, se a Alta Corte não se dá ao respeito ? Às vezes tenho dúvida se aquilo é um “tribunal”, ou ringue de box. Um Ministro do Supremo Tribunal Federal não pode ter esse tipo de atitude. Está faltando equilíbrio e bom senso a Suas Excelências e, principalmente, mais respeito à sociedade brasileira.

  6. STF: corte de vaidosos. Faltam ali, como em tantos outros tribunais, mais “J”uízes com J maiúsculo. Na maioria das vezes buscam os cargos de “DEUS”embargadores, para demonstrar aos gentios essa nova função. A justiça está empobrecida. As elites das cortes (notem que tratam por CORTES) estão em seus “palácios da justiça”, com mordomos que lhes servem café e água, apinhados de assessores, com carros e motoristas e com isso e com aquilo e aquilo mais. O PJ, na minha modesta visão, está derruído. Precisa ser reinventado. É triste constatar tal fato, mas é absolutamente verdadeiro o que afirmo.

  7. Joaquim Barbosa já ameaçou bater no Eros Grau, que chamou de velho decrépito, já quase saiu no braço com Marco Aurélio, já disse que o Gilmar Mendes tinha capangas no Mato Grosso…. Em suma, ele briga com todo mundo.
    E o problema de saúde dele para ser preguicite aguda, já que para ir para festas e butecos ele está sempre bem disposto.

    1. Em agosto de 2010 Barbosa,que estava de licença médica, foi surpreendido pela imprensa participando de festas de amigos e bebendo em bares aumentando as suspeitas de fraude na suposta “doença”.

  8. Como pode um Ministro da mais alta corte do Brasil, pelo simples fato de estar prestes a deixar o cargo, começar a atacar, de maneira grosseira e inconveniente, seus colegas, tanto do STF como do CNJ? Me parece não ser uma conduta facilmente justificável, principalmente por terem sido usadas expressões que podem ser interpretadas como racistas. Infelizmente, o nosso bravo Ministro Joaquim Barbosa (que pode não ter o brilhantismo intelectual de outros, mas possui algo muito mais raro… a dignidade), mais uma vez, teve uma postura intempestiva, dando eco as estarrecedoras declarações do Ministro Cezar Peluso. É evidente que ambos contribuiram para o magnífico crescimento do STF nos últimos tempos (que, por sinal, é um Tribunal que não deve nada para nenhuma outra corte constitucional do mundo), todavia, é necessário dizer que o Ministro Peluso poderia ter evitado tudo isso.

  9. Lamentavel tudo isso. Eu nao espero muito desses minstros porque todos sabemos ser o STF uma corte politica, por definicao. E politica, no Brasil, ainda e’ tratada da linha da cintura para baixo.
    Nao se fala do interesse publico. Sociedade? Esquecam. E’ apenas uma miragem, massa disforme e descontente com tudo.
    Me pergunto quando o Senado vai retornar a sua missao constitucional de selecionar os candidatos ao STF, levando em conta os criterios da capacidade juridico-intelectual e mais importante, quando ira’ o Senado chama’-los ‘as falas, recrimina’-los e , sendo o caso, impedi’-los de ocupar assento na corte mais importante da Republica?
    Senadores, acordem para sua missao constitucional.

  10. Toda essa discussão serve para uma reflexão e mudança URGENTE: a escolha dos Ministros do STF e do PGR há muito tempo está equivocada. Está na hora de discutirmos uma emenda constitucional séria, que permita uma escolha mais técnica e democrática dos referidos cargos.

  11. Vocabulário de botequim o deste Joaquim Barbosa, partiu para ofensa por não ter argumentos? A decisão foi unânime, então este Ministro Joaquim coloca em dúvida todos os demais Ministros? O gabinete deste Ministro está estourado, não julga nada, senta em cima dos processos e só aparece em processos com repercussão social, nada mais, mas para as partes todo processo tem repercussão igualmente importante… este Ministro se acha protegido pois está certo que toda iniciativa para vê-lo punito será atacada como racista e etc., a única certeza é que a presidência de Joaquim será a desmoralização dele próprio, primeiro pois faltará praticamente em todos os julgamentos e isto terá publicidade, segundo por ser arrogante e violento, como demonstra essa sua entrevista, já ameaçou até mesmo
    Eros Grau violentamente. A própósito, deveria ter mais respeito com todos os CAIPIRAS que construiram este país…

  12. Se houvesse consciência da transitoriedade do exercícios de certos cargos – o que recomenda o desapego ao próprio –, talvez ficasse o público em geral livre do constrangimento diante de declarações de quem deixa o cargo, ocupado por mera obediência à ordem de antiguidade.

  13. Não me cabe julgar o comportamento e o livre convencimeto de quem quer que seja, porem, tenho duas indagações:
    1. Se houve o que se denuncia publicamente hoje, porque não se fez no momento da conduta ?
    2. Onde estava o Ministério Público, fiscal da lei e guardião da da Carta Magna nesses momentos?

  14. São dois perfis distintos de juristas: enquanto Peluso simboliza o judiciário antigo, corporativista, afeito a chincanas, embevecido de si mesmo, arrogante e cheio de desdém para com a sociedade, Joaquim Barbosa representa o judiciário mais progressitsta, arejado, aberto, comprometido com valores éticos e impaciente com os traquejos e cacofonias dos “magistrados uspianos catedráticos autocentrados”. Enquanto Peluso tem origem em um Tribunal Estadual, talvez os ninhos de onde saem os Ministros mais consevadores e corporativistas dos Tribunais Superiores, Joaquim Barbosa fez uma trajetória de vida brilhante, saindo da condição de operário da gráfica do Senado e galgando os degraus do poder por meio de sua carreira no Ministério Público Federal, instituição cuja musculatura de poder é mais recente e, em regra, mais afinada com ideais republicanos e democráticos que inspiraram a Constituição de 1988. Peluso não inspira as pessoas. Não conheço um único jurista ou cidadão que olhe para ele e se sinta esperançoso de que produza algo melhor para a sociedade. Barbosa, a partir do mensalão, passou a ser uma reserva moral no Supremo. Sua corajosa atitude de receber a denúncia contra os próceres do poder e seu esforço homérico para enfrentar os problemas físicos e a maledicência dos colegas de Corte encantaram as pessoas, que passaram a depositar em sua pessoa a esperença de um julgamento justo para um dos maiores escândalos do país. O meio jurídico é um meio repleto de hiprocrisias. As pessoas se odeiam e usam discursos polidos para fingirem uma tolerância recíproca. A já testada coragem de Barbosa de reagir às provocações grosseiras daqueles que o cercam é mais uma das virtudes de sua personalidade.

    1. Seu comentário é preconceituoso. O direito não se acha “nas ruas” como quer o Barbosa. Peluso é juiz de carreira, daquele que você encontra no forum. É julgador por formação. Joaquim Barbosa, convenhamos, está no Supremo por sua cor (toda a imprensa noticiou na época que o então Presidente estava à procura de um candidato negro). Sua cor não afasta de seu currículo. Todavia, não lhe dá o direito de ser extremamente agressivo com seus pares ou com os advogados. Além disso, quem já assistiu a julgamentos do STF, sabe que ele é, tecnicamente, muito fraco. Esta é a realidade.

    2. José,

      você está redondamente enganado. Pior: você provavelmente não entende nada de direito. Basta ler os votos do Ministro Peluso e os do Joaquim Barbosa para perceber que o Peluso é intelectualmente e tecnicamente muito superior ao Barbosa.
      Além disso, o Joaquim Barbosa é um dos Ministros menos produtivos da Corte, enquanto o Peluso é exemplo em produtividade.
      As críticas que o Peluso fez em relação ao Joaquim Barbosa são todas verdadeiras: o Joaquim Barbosa realmente vota de acordo com a opinião pública. Pior: os votos do Joaquim Barbosa são fracos e não raramente possuem erros técnicos grosseiros. Como disse o Peluso, o ele é bem inseguro. É inseguro não apenas por sua cor, mas por ser intelectualmente despreparado. Aliás, o próprio Joaquim Barbosa mesmo deixou bem claro seu despreparo nessa última entrevista. Vocabulário de boteco…

      1. O Ministro “A. C. P.” (parafraseando a sopa de letrinhas, em sua homenagem) não passa de um magistrado conservador e achegado aos ideais corporativistas do Poder Judiciário “profundo”. Sua passagem pela presidência do STF não deixará saudades. Agradeço o seu “abalizado” julgamento de minha capacidade de entendimento do direito. Peço desculpa pela minha “ignorância”.

    3. Joaquim Barbosa não está no Supremo por causa de sua cor. Está no Supremo APESAR de sua cor. Mérito do presidente que rompeu com a tradição preconceituosa de um país que não enxerga nas pessoas da raça negra um potencial intelectual para ocuparem uma função de mando. O direito se acha nas ruas, sim! É questão de opção: se você quiser achar o direito nos palácios e nas universidades, você acha. Há os que procuram nas casas de prostituição e nos quartos de hotéis em Brasília. Barbosa prefere as ruas, no que faz muito bem. Quanto a Peluso ser juiz de carreira, “do que se encontra nos fóruns”, isto não o torna melhor para exercer a função de ministro da Suprema Corte. Sua infeliz passagem pelas presidências do STF e do CNJ demonstram. Quanto ao julgamento que você faz da qualidade técnica do trabalho do ministro Joaquim, me fica a dúvida: verdade ou preconceito?

      1. Não se pode comparar o q não tem comparação ! Peluso é em tudo muito superior ! Basta observar os votos. Toda confusão entre ministros Joaquim Barbosa esta envolvido. É impressionante. O maior preconceito q existe contra Joaquim Barbosa parte dele mesmo, q em qualquer oportunidade levanta esta questão. Queria entender a razão do Min. Joaquim ser mais preparado porque veio da Procuradoria da República …

      2. José, concordo contigo.
        Mas o mais intrigante é a declaração do Peluso de que não deu publicidade ao malfeito dos juízes punidos pela corregedoria. Demonstra o tamanho do corporativismo dele.
        Realmente não é um juiz confiável.
        Ele o Gilmar Mendes afundaram o STF.

  15. Olá! Caros Comentaristas! E, Fred! Em uma frase: Que coisa feia! O STF perseguindo esse caminho, apesar de belíssima festa, contemplado com o presente que foi da Cantora Daniela Mercury, começa como já antecipei de mal a pior. A acusação no caso Jader Barbalho é injusta e inverídica. E por essa, questiono as demais.
    Por sinal, afirmo e reafirmo: Quem descumpriu a Constituição Federal de 1988, em seu espírito e conceitos, nos casos: Jader Barbalho e cnj, NÃO foi o PELUSO.
    Por sinal, foi o Ministro PELUSO que a CUMPRIU! OPINIÃO!

  16. Creio que os zelosos joranalistas deste País deveriam, em relação ao caso, checar mais uma vez a fonte. É que por questões muito menores advogados são processados e condenados criminalmente, por supostas ofensas irrogadas em desfavor de magistrados. Assim, causa espanto saber que Joaquim Barbosa disse que Peluso é “brega, caipira”, e que manipula decisões. Barbosa já está sendo processado? Se não, os milhares de processos movidos contra advogados por supostas ofensas a juízes vão ser anulados? Como fica a qustão da igualdade? Então juiz pode “falar mal” de juiz, e advogado não pode criticar a decisão equivocada?

  17. Fred o Ministro Joaquim Barbosa esta coberto de razão e de verdade nas suas declarações. Qualquer leigo mais atento ao funcionamento da Suprema Corte se deu conta de que as coisas eram conduzidas de forma suspeita. O caso Jader Barbalho seria um processo inimaginável em qualquer país civilizado.

    1. “O caso Jader Barbalho seria um processo inimaginável em qualquer país civilizado”. Desculpe Clara, o que é ser um país civilizado? É aquele em que as leis retroagem em desfavor do cidadão.

  18. Concordo plenamente com o Ministro Joaquim Barbosa. A presidência do Peluso foi lastimável, em todos os sentidos. Ainda bem que ele também vai pra casa. Não se assustem se ele antecipar a aposentadoria, atrapalhando comodamente o julgamento do mensalão.

Comments are closed.