Mensalão: custos evidentes da corrupção

Do economista Maílson da Nóbrega, ex-ministro da Fazenda, em coluna sob o título “Outro lado do mensalão”, na revista “Veja“:

A independência do Judiciário brasileiro foi inscrita na Constituição de 1988, mas está agora comprovada nesse memorável julgamento do STF, cujo desenrolar demonstra inequivocamente o nosso amadurecimento institucional. Erraram os líderes do PT que esperavam dos juizes indicados por Lula e Dilma uma submissa declaração de inocência dos réus. Ao contrário, a expressiva maioria deles tem-se guiado por sua consciência e pelos autos. O compromisso com a história pessoal, com a carreira profissional e com a verdade se sobrepôs a pressões de qualquer natureza.

(…)

O julgamento do mensalão aflorou teses inovadoras, que podem fundamentar sentenças exemplares. Os custos da corrupção ficam mais evidentes e podem inibi-la. Acima de tudo, dispomos de um dos mais relevantes fundamentos institucionais do país. O Judiciário é um dos poderes autônomos da República, condição essencial para a democracia e para o desenvolvimento.

Comentários

  1. A eloquente e lúcida manifestação do Dr Mailson dá aos fatos uma dimensão precisa. Nos autoriza a continuar acreditando na Justiça, em dias melhores e na insuficiência dessa política equívoca do PT, que pretende controlar a tudo e a todos, num exercício de arrogância inimaginável e inconpatível com seu discurso histórico (e atualmente só histórico mesmo) sobre direitos, liberdades e boas práticas políticas!

Comments are closed.