Ayres Britto: STF muito além do mensalão

Do ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal Ayres Britto, ao responder aos jornalistas Valdo Cruz e Felipe Seligman, da Folha, por que o julgamento do mensalão é inédito:

Sabe por que está sendo inédito? Porque vocês esquecem, a sociedade esquece, [mas] nós, ministros, não esquecemos. Isso vem num crescendo, só que agora é no campo penal. No campo científico, liberamos o uso das células tronco embrionárias. No dos costumes, decidimos em prol da homoafetividade, da interrupção da gravidez de feto anencéfalo, no ético cortamos na própria carne proibindo o nepotismo no Judiciário.

No campo político, afirmamos a Lei da Ficha Limpa. Isso é um crescendo, o Supremo vem tomando decisões que infletem sobre a cultura do povo brasileiro. E agora chegou o campo penal.

Comentários

  1. As mudanças no Brasil, andam muito devagar. Existe um descompasso entre a “dinâmica” da sociedade e tudo mais que ocorre no Executivo e Judiciário. Entre o legislativo, há um verdadeiro ABISMO. Os políticos jamais conseguem sintonia com o povo. Já passou da hora de alterar a legislação penal, carcerária, tributária, naval (caso dos crimes praticados c/jet sky, lanchas, etc) e PRINCIPALMENTE a deles próprios – CHEGA DE TANTOS SENADORES e DEPUTADOS, sangrando a NAÇÃO BRASILEIRA. CHEGA DE APOSENTADORIAS PRECOCES, para GOVERNADORES, DEPUTADOS e SENADORES.

Comments are closed.