Três ministros do Supremo e cinco do STJ visitam Israel

O presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, participa de visita oficial a Israel junto com uma comitiva de mais dois ministos do STF (Luis Roberto Barroso e Rosa Weber) e cinco do Superior Tribunal de Justiça (Ricardo Villas Boas Cueva, Mauro Campbell Marques, Joel Paciornik, Sebastião Alves dos Reis Jr. e Maria Isabel Galotti Rodrigues).

A viagem é promovida pela Confederação Israelita do Brasil (Conib), Federação Israelita do Estado de S.Paulo (Fisesp) e Project Interchange. Os ministros foram convidados para um seminário que teve início no dia 15 e vai até o dia 21 deste mês.

Na semana passada, os dois tribunais tentaram manter a viagem fora do noticiário. O STJ não prestou nenhuma informação a este site.

Na última quinta-feira (13), a assessoria de Toffoli informou que o presidente faria uso de diárias do STF e viajaria acompanhado de um juiz auxiliar e um assessor, também com diárias pagas pelo tribunal.

Na edição do Diário Oficial desta terça-feira (18), há o despacho de Toffoli autorizando o afastamento do país do servidor Sergio Bueno Solon de Pontes, chefe de gabinete da presidência, no período de 15 a 23 de junho, com ônus para o STF.

Como este Blog registrou, os ministros do STF Luís Roberto Barroso e Rosa Weber viajam sem nenhuma despesa ou custo para o Supremo. A assessoria de Barroso informou que essa é “a regra nas viagens dele”. A assessoria de Weber disse que sua viagem também não terá nenhum custo para os cofres públicos.

Os convites previam que os custos do seminário, incluindo passagem aérea ida e volta, alimentação e hospedagem seriam de responsabilidade da Conib, da Fisesp e do Project Interchange. Os participantes seriam responsáveis por quaisquer despesas pessoais durante sua estada em Israel.

Segundo informa boletim da Conib, a agenda inclui encontros com ministros da Suprema Corte de Israel, funcionários do Ministério da Justiça, analistas políticos e acadêmicos. A programação prevê visitas a locais históricos, políticos, religiosos e culturais.

“É uma chance de o grupo conhecer de perto variados aspectos da sociedade e da vida israelense”, disse o presidente da Fisesp, Luiz Kignel.

Um jantar foi oferecido pelo embaixador do Brasil em Israel, Paulo Cesar Meira de Vasconcellos.